Artigo
Equidade de gênero: a presença feminina no setor automotivo
Publicada em 09 de Dezembro de 2022 Bridgestone

Nos últimos anos, o tema de diversidade e inclusão ganhou relevância nas empresas automotivas e o pilar de equidade de gênero foi um dos mais abraçados pelo setor. Ainda assim, os números ainda são pequenos. É o que aponta o estudo Diversidade no Setor Automotivo - feita pela revista Automotive Business, março de 2022 - , revelando que as mulheres representam apenas 0,6% da liderança no setor. Dentro desse recorte, 12% ocupam cadeiras de vice-presidentes e presidentes 16% em posições de conselho administrativo. O estudo ainda mostra que a maior equidade entre homens e mulheres é nas posições de aprendiz, trainee e estágio, onde a distribuição acontece em 50% para cada gênero.

Na contramão do setor, aparece a Bridgestone, com números mais expressivos sobre a participação das mulheres na companhia. A companhia trabalha fortemente para reforçar a equidade de gênero em todas as operações, por meio da implementação de programas de recrutamento que valorizem a diversidade e a inclusão. Em 2021, cerca de 50% das pessoas contratadas pela Bridgestone na América Latina foram mulheres.

Uma das características da Bridgestone em relação aos processos de recrutamento e seleção é fortalecer a equidade de gênero em todas as operações por meio de programas de recrutamento diversos e inclusivos. Essa busca por talentos é realizada por meio de um processo seletivo justo, que garante que todos os participantes tenham as mesmas oportunidades, independentemente de gênero, idade, etnia, religião, orientação sexual, entre outros fatores.

Além da forma de contratação, a Bridgestone promove iniciativas internas que contribuem para a retenção e promoção de mulheres na empresa. Dentre outras alternativas, a empresa lançou o BWIN , um grupo de recursos de funcionários (ERGs) para desenvolver uma cultura de promoção de lideranças femininas na empresa. A ação é vista como uma forma de engajamento e estímulo para as oportunidades que se abrem dentro da companhia. Outro exemplo palpável é uma parceria com o SENAI, em Santo André, onde foi implementado um programa com o objetivo de aumentar o número de mulheres na indústria de manufatura. Graças a esta iniciativa, 15 mulheres participaram do processo de recrutamento para trabalhar na Bridgestone, sendo que seis delas já fazem parte da organização.

Tags


Teste GRÁTIS por 7 dias